.

O que vivemos é um tesouro que nunca se apaga da memória, mas é o que não construímos que nos entristece e mata.


O mundo , as estrelas , o céu azul escuro , a lua , ainda temos tudo por descobrir. Deita-te na erva molhada pela orvalhada , naquela noite quente , de céu estrelado e de lua cheia. O que é que vês ? Vê-la a ela e a ela. Duas estrelinhas grandes. Uma minha , outra tua. Protegem-nos , olham por nós , tomam conta da nossa vida e do nosso mundo. Estão sempre lá para tudo. Remam a favor da nossa corrente , andam no mesmo sentido que nós , caminham com os nossos pés por cima dos nossos passos. São a nossa sombra , e usam-se dela para nunca nos perder de vista. Com elas , não há um passo dado em falso.

Se eu morrer amanhã deixo te morrer no dia seguinte (:

Inês @

1 comentário:

  1. blog brutal!
    passa pelo meu e vê se curtes :)
    se houver algo que não curtas diz, conselhos são mais do que bem-vindos!
    queres seguir-me? :D é que dava um jeitão! :D mesmo!
    continua

    ResponderEliminar