.

O que vivemos é um tesouro que nunca se apaga da memória, mas é o que não construímos que nos entristece e mata.


“Sei que não vinhas a fugir de nada, nem à procura de coisa nenhuma. Mas acho que, quando eras pequeno, te arrancaram uma parte de ti, e desde então ficaste incompleto e perdeste, quem sabe talvez para sempre, a capacidade de adormecer nos braços de alguém sem que penses no perigo de ficar na armadilha do carinho para todo o sempre.”

Margarida Rebelo Pinto

1 comentário:

  1. adorei completamente joão. mas não sei como seguir o blog :s

    ResponderEliminar